A SERRA DA CANTAREIRA E O HORTO FLORESTAL – HISTÓRIA

Parque da Cantareira

Parque da Cantareira, 1896. Crédito: Arq. Municipal – Seção Arquivo de Negativos DIM/DPH/SMC/PMSP.

Em frente à cidade de São Paulo ergue-se a Serra da Cantareira, no bairro do distrito do Mandaqui, à margem direita do Rio Tietê. A palavra cantareira significa “pedra para apoiar um cântaro ou pote d’água”, o que sugere a presença de águas contínuas na região. Por esse motivo, a Serra da Cantareira tornou-se uma importante rede de abastecimento da cidade.

Do século XVI ao XVIII, a região dedicou-se ao cultivo de legumes, frutas e mandiocas, vendidos na cidade. A partir do final do século XIX, com o crescimento da cidade, a Companhia Cantareira de Água e Esgotos reorganizou o sistema de abastecimento de água e mudou o perfil da região. Para garantir a área de preservação dos mananciais, criou-se uma reserva florestal de 5.647 hectares. Em 1893, foi criado o Parque da Cantareira, com bosques, lugares para piqueniques e práticas de esporte. Um grande jardim com bancos e cascatas recebia pessoas elegantemente vestidas.

O acesso ao parque foi facilitado pela ferrovia. A estação Cantareira estava localizada à Rua 25 de Março, em frente ao mercado. O percurso de 13 quilômetros era muito agradável, com paradas em Santana, Mandaqui, Tremembé e Cantareira. Foi desativado em 1957, após 63 anos de serviço. No seu último dia de viagem, uma faixa na plataforma dizia: “Os funcionários do Trenzinho da Cantareira desejam ao comércio e ao povo muitas felicidades, no adeus saudoso de despedida ao velho e inesquecível trenzinho”.

Um pouco abaixo do reservatório foi instalado o Horto Botânico, mais tarde chamado de Horto Florestal, uma das raras áreas verdes da zona norte da cidade, onde ainda existem aves, macacos, tatus, esquilos, antas, quatis e capivaras.

O Guia do Estado de São Paulo de 1912 descreve a Cantareira como:

“Local pitoresco, muito freqüentado, principalmente aos domingos e feriados. Nestes recantos deliciosos as montanhas apresentam aspectos variados e soberbos, todas cobertas por matas vastas e densas, onde destacam velhos troncos retorcidos entrelaçados por cipós. Quem desembarca na estação do tramway surpreende-se com um jardim de flores e uma floresta esplêndida e, logo após o bosque, uma cascata formada por um fino curso de água cristalina e fresca que se precipita apresentando um aspecto delicado. É difícil descrever as belezas deste recanto de São Paulo, é só visitando este local agradável que podem conhecer-se os charmes da natureza exuberante das montanhas da Cantareira”

Fonte: http://www.aprenda450anos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>